Categoria: filmes

10 frases de filmes que me marcaram

Tem um meme bem legal rodando por aí que você tem que falar sobre 5 personagens que mudaram tua vida. Achei legal, mas não consegui pensar em personagens em si que marcaram, ficava pensando nas frases que eles diziam que eu pegava balançando com a cabeça e falando pra mim mesma: “Taí, é isso. Vou usar pra minha vida.”

Então pronto, esse é um meme que inventei agora. Pegar frases de filmes, seriados, whatever que vc viu e que te marcou muito. Não precisa ter uma ordem de importância, ou que mudou tua vida depois de um diálogo.

 

10) Frances Ha

Me identifiquei tanto com a Frances nesse diálogo! Quer dizer, quem não, né? <3 Filme amor, pra ver várias e várias vezes!

 

9) Medianeras

VDD VDDRA! (um dos meus filmes preferidos, por sinal. Escrevi sobre ele na minha carta para eu mesma)

 

8) Apenas o fim

<3 :( :)

 

7) Pulp Fiction

Eu gosto de silêncio.

 

6) Sex and the City

Mr. Big falando verdades.

 

5) Trainspotting

 

4) Friends

Minha vida, meu clube.

 

3) Pierrot Le Fou

 

2) Peixe Grande

 

1) Vicky Cristina Barcelona

 

Share Button

meme: top 5 filmes da minha vida

A Lidi quem fez e achei bem legal. Isso é só porque ando sem ~pauta~ ultimamente, ainda tenho que postar os últimos filmes que assisti, que são bem bons. Tou enrolando porque quero assistir Drive, My Week With Marilyn, Pina e Sleeping Beauty, esse último sendo meio tenso.

Por enquanto fiquem com os 5 filmes da minha vida, não foi fácil escolher, não sei se chega a ser da miiiiiiiiiiiiiinha vida, mas no mínimo são meus favoritos.

1. Peixe grande – Tim Burton

Ed Bloom (Albert Finney) é um grande contador de histórias. Quando jovem Ed saiu de sua pequena cidade-natal, no Alabama, para realizar uma volta ao mundo. A diversão predileta de Ed, já velho, é contar sobre as aventuras que viveu neste período, mesclando realidade com fantasia. As histórias fascinam todos que as ouvem, com exceção de Will (Billy Crudup), filho de Ed. Até que Sandra (Jessica Lange), mãe de Will, tenta aproximar pai e filho, o que faz com que Ed enfim tenha que separar a ficção da realidade de suas histórias.

Olha, vou falar…não curto muito o Tim Burton, sério. HAHAH.  *tapa os ouvidos pra não ouvir os xingamentos* Ele me dá um pouco de preguiça, pensa comigo: depois desse filme, teve algum outro que ele fez que prestou? Eu diria que não. Mas enfim, esse se supera, eu assisti ele bem tarde… e foi numa expectativa zero apesar dos meus amigos dizerem que eu ia adorar o filme. E quer saber? AMEI. E tenho certeza que vocês também. Amei tanto que é um dos meus preferidos, chorei, me emocionei, me encantei.

 

2. Carne trêmula – Pedro Almodóvar

Victor (Liberto Rabal) se apaixona perdidamente pela belíssima Elena (Francesca Neri), mas um golpe do destino impede que o namoro vá para frente. A jovem que é viciada em drogas, no primeiro encontro saca um revólver e quando a policia chega em seu apartamento para averiguar o que está acontecendo, um tiro acidental atinge David, um dos policiais,agora condenado a viver numa cadeira de rodas. Mas o que poderia ser uma tragédia transforma-se numa reviravolta fantástica dando a todos os envolvidos a oportunidade de encontrar a felicidade. O talento e ousadia de Pedro Almodóvar são sua marca registrada em Carne Trêmula, uma história chocante com muito erotismo que vai deixar você extasiado!

O Almodóvar sempre prega umas pegadinhas que faz a gente ficar boquiaberto. Um dos melhores dele.

3. Medianeras – Gustavo Taretto

Martin (Javier Drolas) e Mariana (Pilar López de Ayala) vivem na mesma rua, em edifícios opostos, mas eles nunca se conheceram. Eles andam pelos mesmos lugares mas nunca notaram um ao outro. Quais são as chances deles se conhecerem em uma cidade de três milhões de habitantes? O que os separa, irá uni-los.

Simples. Lindo. Preferido.

4. A partida – Yojiro Takita


Daigo Kobayashi é um jovem casado que acabou de ser dispensado da orquestra na qual tocava violoncelo. De repente, vagando pelas ruas sem emprego ou mesmo esperanças em relação à carreira, Daigo decide voltar para sua cidade natal na companhia da esposa. Lá, o único trabalho imediato que lhe aparece é como “nokanshi”, uma espécie de coveiro especial responsável pela cerimônia de lavagem e vestimenta dos mortos antes que suas almas caminhem para o outro mundo. Daigo comporta-se com seriedade, algo como um burocrata, um porteiro entre o céu e a terra. Ocorre que seu trabalho é simplesmente desprezado pela esposa de Daigo e por todos ao seu redor. Mas é através da morte que ele finalmente compreende o sentido da vida.

Chorei tanto que soluçava. ahahaha, excelente filme, não conheço uma única pessoa que não tenha gostado. Ri, chorei, chorei, ri e finalmente, me desabei de chorar, hahah. Só de ouvir a música que toca no filme, me dá calafrios de tão lindo que é. Não sei por que você ainda não assistiu.

5. Pierrot le fou – Jean-Luc Godard

Casado com uma italiana e entediado com sua vida na alta sociedade, o professor espanhol Ferdinand foge em direção ao sul com Marianne, após um cadáver ser encontrado na casa dela. Eles caem na estrada e deixa um rastro de roubos por onde passam.

Nunca achei que ia colocar um filme do Godard, mas sério.. os diálogos são tão lindos que não saem da minha cabeça, forever retumblr ahhaha. Uma das minhas próximas tattoos vai ser uma frase daí. :D

 

Quem eu quero que faça: meus amigos do ACRE. Mas sei que não farão por preguiça. ahahah Que tal você, Bruh? :)

Share Button

Pra assistir

Uma seleção de filmes que gostei muito muito pra vocês se jogarem nos fds chuvosos ou nos feriados curtos :)

PARA OS PACIENTES > esse é para aqueles que gostam de filmes que tem um ritmo mais devagar. Eu não gosto de muiiito lerdo, que nem ‘cena 1: vacas pastando (15 mins)’ – sim, existe esse filme e o Renato assistiu – mas enfim, são muito bonitos. :)

Pierrot Le Fou, Melancholia, Copie Conforme, Somewhere, In the mood for love, Spring, Summer, Fall, Winter…and Spring, Tokyo! e Jules és Jim

PARA SE EMOCIONAR E ATÉ CHORAR > hahaha, não achei título menos idiota… mas esses são os filmes mais lindos que assisti. Todos com histórias muito diferentes, lindamente distintas, pra rir, pra chorar e pra se emocionar. E não digo no sentido que é pra ficar triste (aliás, faltou o filmes que me deixaram deprimida hahaha), e sim pra falar: “cara, que maravilhoso!”

Mister Lonely, Departures, Where the wild things are e Big Fish

OS MAIS BOBOS > Esse é pra quem ama um filme óbvio e fofo! Hahah, eu adoro ver filme de mulherzinha tambem, em que a moça vai tem o encontro romantico, fica com o cara, perde o cara e ele volta. hahaha. AMO! Realidade, só que ao contrário.

Friends with benefits, The sweetest thing, 10 things I hate about you, Big, 13 going on 30, The devil wears Prada

OS BIZARROS > Aquele filme que eu assisti e falei “potaquepario, que foi isso?” e é o filme mais bizarro que vc já viu pq tem ou o Ewan pelado transando com um japa véio ou pq o Javier fala que os peitos da Penelope tem gosto de presunto (e mais um monte de palavra chave pro google ahaha)… mas os dois são mto bons! :)

Jamón Jamón e The pillow book

OS MAIS FOFOS > O que é muito diferente de bobo. Ou um bobo diferente, sei lá… tem final feliz, mas é gracinha! Assiste que vale a pena. :)

Tonari no Totoro, Le Fabuleux destin d’Amélie Poulain, Ponyo, L’Auberge Espagnole, Les Poupées russes e Toy Story 3

OS QUE EU AMO > Alguns dos meus preferidos que eu assistiria ou assisti mais de 30x. ahaha

Medianeras, Tetro, Carne Trémula, Closer, Vicky Cristina Barcelona e The Virgin Suicides

Ah, e uma ultima coisa…ontem fiquei sem nada pra fazer e a Ray falou preu fazer uma página do RGB no facebook, então se vc lê e gosta (Q???), curte lá pra eu não ser a única hahaha, tá ali do lado. Caso tenha preguiça, tá aqui o link :)

Share Button

Da série: filmes que andei assistindo #8

Faz um tempão que eu não escrevo sobre os últimos filmes que andei assistindo, heim? Alá:

Friends with Benefits – Will Gluck

“No longa, Kunis é uma jovem caça-talentos que está cansada dos homens com fobia de relacionamentos sérios. Por sua vez, Timberlake, o editor de revistas que ela acabou de contratar, está cansado das mulheres. Os problemas começam quando o improvável acontece: eles se apaixonam.”

Filme bom pra assistir em dia de domingo chuvoso :) E ótimo pra anotar os diálogos pro próximo filho da puta que te largar numa ficada. Hahah!

Medianeras – Gustavo Taretto

“Conta a história de Martin e Mariana que mesmo morando em prédios um em frente ao outro se cruzam mas nunca se encontram.”

O que eu aprendi nesse filme é a não desistir porque cada um tem seu Wally <3 Vá assistir, é uma delícia de filme, fofo e bem simples. Achei que ia me emocionar por reconhecer Buenos Aires, mas a verdade é que eu quase não reconheci porque não consegui passar em muitos lugares HAHAH. Mas deu saudades. 2012 tô de volta, hermanos! :)

Pierrot Le Fou – Jean-Luc Godard

“Casado com uma italiana e entediado com sua vida na alta sociedade, o professor espanhol Ferdinand foge em direção ao sul com Marianne, após um cadáver ser encontrado na casa dela. Eles caem na estrada e deixa um rastro de roubos por onde passam.”

Vou te dizer, acho que foi o único filme dele que consegui entender, hahaha. Os diálogos são muito bons, vale assistir! ;)

Um conto chinês – Sebastián Borensztein

“A história de um rabugento dono de uma casa de ferragens que, inesperadamente, se depara com o cenário de ajudar um chinês que foi jogado de um carro e não fala uma palavra em espanhol.”

Filmes argentinos tão virando meus favoritos já. Outro que vale muito a pena ver, o mais engraçado é que na parte que o chinês falava não tinha legenda, pra você não entender também, mas eu entendia tudo, hahahaha! Só eu ria quando ele falava, haha!

Árvore da vida – Terrence Malick

” “A Árvore da Vida” aproxima o foco na relação entre pai e filho de uma família comum, e expande a ótica desta rica relação, ao longo dos séculos, desde o Big Bang até o fim dos tempos, em uma fabulosa viagem pela história da vida e seus mistérios, que culmina na busca pelo amor altruísta e o perdão.”

Até hoje tô tentando pensar no que dizer desse filme, mas posso dizer que até entendi um pouco depois que li essa sinopse ahahha!

Melancholia – Lars Von Trier

“O tempo só serviu para afastar as irmãs Justine (Kirsten Dunst) e Claire (Charlotte Gainsbourg). Nem o casamento entre Justine e Michael (Alexander Skarsgård) serve como desculpa para aproximá-las e, depois da cerimônia, Justine começa a ficar triste e melancólica. Quando o anúncio sobre a colisão da Terra com outro planeta chega ao conhecimento, as reações são bem diferentes. Justine está conformada, enquanto o desespero do iminente fim apavora Claire.”

Meu primeiro filme Lars Vontriano ahahaha, e olha…gostei heim. Ele gosta de chocar, e eu fiquei perturbada, me senti na pele da Claire, sinto pavor desse fim de mundo… o povo adora brincar, eu fico quieta pensando “o dia que for verdade, ceis vão tudo tomar no cu” Hahahaha!

Harry Potter e as relíquias da morte – parte II – David Yates

AMO HARRY POTTER, TÁ? Melhor parte do filme, essa daí de cima. <3

Blue Valentine – Derek Cianfrance

“Casados há vários anos e com uma filha, Cindy (Michelle Williams) e Dean (Ryan Gosling) passam por um momento de crise, vendo o relacionamento ser contaminado por uma série de incertezas. Dispostos a seguir em frente, os dois tentam superar os problemas, buscando no passado e no presente os motivos que o mantiveram unidos até este momento e os fizeram se apaixonar um pelo outro.”

“Nobody baby, but you and me” :) filme triste da porra.

O desprezo – Jean-Luc Godard

“O Desprezo conta a história da crise de um casal em uma viagem à Itália que acaba mal. Camille (Brigitte Bardot) tem a impressão de que seu marido não lhe ama mais. Paul Javal, seu marido, é um roteirista que, para garantir o conforto da esposa e evitar o rompimento da relação, aceita escrever uma nova adaptação da obra grega “A Odisséia” para o cinema. Primeiro, nascem a dúvida e o desprezo em Camille e depois vem a incompreensão e a raiva de Paul. Diferente do livro de Homero, não é Ulisses que vai embora e abandona sua amada Penélope.

Uma coisa eu aprendi nos filmes do Godard: posso não entender nada do filme, achar ele maçante mas os diálogos são incríveis.

Meia-noite em Paris – Woody Allen

“Gil (Owen Wilson) sempre idolatrou os grandes escritores americanos e quis ser como eles. A vida lhe levou a trabalhar como roteirista em Hollywood, o que por um lado fez com que fosse muito bem remunerado, por outro lhe rendeu uma boa dose de frustração. Agora ele está prestes a ir para Paris ao lado de sua noiva, Inez (Rachel McAdams), e dos pais dela, John (Kurt Fuller) e Helen (Mimi Kennedy). John irá à cidade para fechar um grande negócio e não se preocupa nem um pouco em esconder sua desaprovação pelo futuro genro. Estar em Paris faz com que Gil volte a se questionar sobre os rumos de sua vida, desencadeando o velho sonho de se tornar um escritor reconhecido.”

Ô filme bom! Tem que assistir, povo, quero comprar o dvd NOW. ahhaha

Amor e outras drogas – Edward Zwick

“Maggie (Anne Hathaway) é uma mulher de espírito livre que não quer se amarrar de maneira alguma. Ela só esperava conhecer Jamie (Jake Gyllenhaal), um charmoso vendedor de produtos farmacêuticos que tem todas as mulheres aos seus pés. Aos poucos o relacionamento evoluiu e ambos descobrem que estão sob a influência da droga mais forte já inventada: o amor.”

O que seria de nós sem filmes água com açúcar? Te digo, eu não sairia em todo filme me perguntando CARA, CADÊ MINHALMAGÊMEA? Tsc. tomanocu. AHHAHAHAH

Não minha filha, você não irá dançar – Christopher Honoré

“Desde que se separou de Nigel, Léna enfrenta a vida da melhor maneira possível com seus dois filhos. Com valentia, supera todos os obstáculos colocados em seu caminho. Mas ainda precisa lidar com o pior deles: as ações de sua família insistente, que decidiu fazê-la feliz de qualquer maneira.”

Nunca vi um filme em que uma mulher chorasse em TO-DAS as fuckin cenas. SÉRIO, teve uma hora que dava vontade de dar uns tapas nela pra ver se parava de chorar, ô drama. Esse é o tipico filme que a gente vê como nós mulheres somos dramáticas e loucas. Maria Elena feelings. Não sei se era raiva disso ou porque o filme começava ás 10 am de um domingo, mas pelo menos ganhei café da manhã grátis. HEH

Ainda teve Kung Fu Panda 2 (GENTE, AMO AQUELE PATO! hahaha) e Rio, mas fiquei com preguiça de escrever.

Share Button

Da série: filmes que andei assistindo #7

Trailer no título ;)

A Partida – Yojiro Takita

“Daigo Kobayashi é um jovem casado que acabou de ser dispensado da orquestra na qual tocava violoncelo. De repente, vagando pelas ruas sem emprego ou mesmo esperanças em relação à carreira, Daigo decide voltar para sua cidade natal na companhia da esposa. Lá, o único trabalho imediato que lhe aparece é como “nokanshi”, uma espécie de coveiro especial responsável pela cerimônia de lavagem e vestimenta dos mortos antes que suas almas caminhem para o outro mundo. Daigo comporta-se com seriedade, algo como um burocrata, um porteiro entre o céu e a terra. Ocorre que seu trabalho é simplesmente desprezado pela esposa de Daigo e por todos ao seu redor. Mas é através da morte que ele finalmente compreende o sentido da vida.”

Lindo, delicado, belo e emocionante. Chorei muito, muito mesmo…quase soluçando de tão lindo. Hahaha. O jeito como os japoneses se despedem das pessoas queridas é muito bonito e a história em si é ótima.

O fabuloso destino de Amelie Poulain – Jean-Pierre Jeunet

“Após deixar a vida de subúrbio que levava com a família, a inocente Amélie (Audrey Tautou) muda-se para o bairro parisiense de Montmartre, onde começa a trabalhar como garçonete. Certo dia encontra uma caixa escondida no banheiro de sua casa e, pensando que pertencesse ao antigo morador, decide procurá-lo ­ e é assim que encontra Dominique (Maurice Bénichou). Ao ver que ele chora de alegria ao reaver o seu objeto, a moça fica impressionada e adquire uma nova visão do mundo. Então, a partir de pequenos gestos, ela passa a ajudar as pessoas que a rodeiam, vendo nisto um novo sentido para sua existência. Contudo, ainda sente falta de um grande amor.”

Sim, eu devo ser a última pessoa no planeta que assistiu esse filme AGORA. Sempre tive um pouco de preguiça de assistir, não me perguntem o porque. Sei lá, tem filmes melhoeres hahah (lá vem as amelinhas me xingar). Não que eu achei ruim, pelo contrário…achei super fofinho, gracinha bem o que a Hebe falaria. E eu gosto desses filminhos encantadores sim, ainda mais francês que sempre me dá vontade de fazer aula. E principalmente: deu vontade quebrar a casquinha do creme brûlée. hahahah.

Cópia Fiel – Abbas Kiarostami

“É a história do encontro entre um homem e uma mulher, numa aldeia italiana no Sul da Toscana. O homem é um escritor inglês que vem dar uma conferência; a mulher, uma galerista francesa. É uma história universal que poderia acontecer a qualquer um e em qualquer lugar.”

106 minutos de DR. Assim, nem eu tenho isso tudo…. hahahah. É um filme cansativo, mas bem interessante! Adoro a Juliette Binoche, essa linda! E adoro esse jeito que eles conversam… em inglês, francês e italiano. “Ma-Ma-Marie!” :)

Mister Lonely – Harmony Korine

“Um sósia de Michael Jackson é convidado por uma sósia de Marilyn Monroe, nas ruas de Paris, para integrar uma comunidade na Escócia composta apenas por outros sósias de celebridades famosas. Relutante e solitário, Michael Jackson acaba aceitando. Lá Michael se torna um bom amigo de James Dean, Madonna, Charles Chaplin, Elizabeth II, Abraham Lincoln, o Papa, Chapeuzinho Vermelho e… por aí vai.”

Que filme lindo! :) Sei lá, geralmente eu demoro pra absorver os filmes, e esse foi um deles. Aquele tipo de filme que você assiste, fica boquiaberta e sem fala e precisa digerir só pra falar: “pqp, que filme lindo!”. E é exatamente o que eu li: “soa como um vazio muito cheio.” suspirei e quero ver de novo. E a parte das freiras no céu….. uau.

The dark side of the Rainbow  – King Vidor, Mervyn LeRoy, Richard Thorpe, Victor Fleming

“Dark Side of the Rainbow é o nome dado ao efeito criado ao tocar o álbum conceitual do Pink Floyd The Dark Side of the Moon de 1973 simultaneamente com o filme de 1939 O Mágico de Oz. O efeito consiste no fato de que há diversos momentos em que uma obra corresponde a outra, seja por parte das letras das músicas ou pela sincronia áudio-visual. O nome do efeito vem da combinação do título do disco (The Dark Side of the Moon seria O Lado Sombrio da Lua, uma metáfora para ilustrar os conceitos de lado negativo da mente e da vida) e da icônica canção do filme Over the Rainbow (Além do Arco-Irís).”

Assisti esse filme, “Mister Lonely” e “Fred e Ginger” (que não coloquei na lista porque eu simplesmente dormi. Foi mal ae Fellini, eu tentei) na Virada Cultural, foi tipo o noitão Belas Artes (aii chorei) mas no Cinesesc. Esse filme lotou, tinha até fila lá fora… tudo pra ver se a lenda estava certa. O filme começou bem legal…e acho que as primeiras cenas se encaixam muito bem com o disco… por exemplo, a cena em que ela está dentro do tornado com a música “wright” é simplesmente maravilhoso! E quando ela entra no mundo do mágico de Oz (quando a cena pela 1a vez se torna colorida) e começa a tocar “money”. bem foda, vale assistir esse pedaço. É incrível a sintonia do filme com a música… eu assisto várias vezes e toda vez falo “pqp!!!! sensacional!”  Mas aí depois que começa a tocar novamente o disco…não acho que fica mais tão interessante… sem contar que não assisti a esse filme, né, e não tinha legenda…aí boiei um pouco. Quer dizer, qualé que era a da bruxa Baratuxa? hahaha.

Primavera, Verão, Outono, Inverno e Primavera – Ki-duk Kim

“Ninguém é indiferente ao poder das quatro estações e de seu ciclo anual de nascimento, crescimento e declínio. Nem mesmo os dois monges que compartilham a solidão, em um lago rodeado por montanhas. Assim como as estações, cada aspecto de suas vidas é introduzido com uma intensidade que conduz ambos a uma grande espiritualidade e a tragédia. Eles também estão impossibilitados de escapar da roda da vida, dos desejos, sofrimentos e paixões que cercam cada um de nós. Sobre os olhos atentos do velho monge vemos a experiência da perda da inocência do jovem monge, o despertar para o amor quando uma mulher entra em sua vida, o poder letal do ciúme e da obsessão, o preço do perdão, o esclarecimento das experiências. Assim como as estações vão continuar mudando até o final dos tempos, na indecisão entre o agora e o eterno, a solidão será sempre uma casa para o espírito.”

Confesso que achei que não ia aguentar esse filme, sabe aqueles poéticos, quase sem fala nenhuma? Então, esse é um deles. Mas além de ser um triste lindo, é encantador. Aquele tipo de silêncio que diz tudo. Simplesmente não consegui parar de assistir.

Share Button

1 2 3